Postagens

Conto: O Caminhante

Imagem
Andando nas ruas,  sem ter destino certo; ele se sente bem. Conhecendo e vivendo, um nômade moderno. É o seu jeito de viver. Nunca ouve críticas, pois nunca fica tempo suficiente num lugar para recebê-las. Está bem vestido: sapatos limpos, camisa passada, calças sem manchas. Cortesia de seus últimos conhecidos. A mochila nunca está pesada. As coisas são efêmeras, prefere não acumular. Tudo passa. Pra quê pressa se o futuro é a morte? Ele gosta de andar. Viver sem rumo é a sua vida. Nem sempre foi assim. Sonhava em ter uma casa para chamar de sua, uma esposa, filhos. Emprego fixo, bom salário, vida tranquila. Estudou bastante, noites em claro, cansaço era seu nome do meio. Abdicou de muitas coisas. Sumiu do mapa. Dedicou-se cem porcento. Seu objetivo esta em foco. A esposa veio, os filhos não. Não houve tempo, ela partiu cedo demais. Estava de novo sozinho. Sentia-se assim. Sem lugar para ficar, nem para voltar. Decidiu por sair. Conhecer, viver; esse era o seu lema. Pode ser para sem…

O Vendedor de Judas, de Tércia Montenegro

Imagem
Título: O Vendedor de Judas Autor(a): Tércia Montenegro Publicação Original: 1998 | Editora: Casa de José de Alencar Edição da Imagem:Editora: Edições Demócrito Roch Páginas: 84

Curiosidade e Leitura
Foi devido à minha curiosidade que encontrei o livro que motivou este texto. Vendo tantos ali esquecidos, parei o que estava fazendo e remexi em velhas páginas, provavelmente nunca lidas antes. Me deparei então com a branca e fina obra de uma autora da qual nunca ouvira falar; até aquele momento. E mesmo cometendo o velho pecado de julgar um livro pela capa, separei-o e deixei à mesa. Inevitavelmente, sempre que me sentava àquela mesa, folheava a obra e observava as ilustrações que passavam rapidamente perante meu olhar. Quando alguma me chamava a atenção, voltava à página e olhava sem realmente entender aquelas imagens. E mais uma vez a curiosidade me incentivava a saber mais sobre aquele livro e suas também curiosas ilustrações. Vencendo meu pré-julgamento, descobri do que ele realmente se trata…

Paramoti: 60 Anos de História

Imagem
Aos 60 anos, uma pessoa já pode se considerar idosa. Muitas histórias para contar, experiências adquiridas durante a vida, progressos e aperfeiçoamentos.
Não é muito diferente quando é uma cidade que tem 60 anos. A linha temporal é a mesma. Veja bem: quando nasce, uma cidade ainda não tem muitos habitantes, é pacata e não há grandes acontecimentos. Aos poucos, conforme vai crescendo e desenvolvendo-se, surgem problemas, que logo serão resolvidos gerando uma certa experiência. Começam então as mudanças: algumas boas, outras ruins, mas que no fim vêm para agregar.
Paramoti nasceu em 25 de janeiro de 1958, tão pequenina quanto um bebê. Cresceu, desenvolveu-se e transformou-se na cidade que hoje tanto amamos. Ainda em seus primeiros anos, ganhou novidades: um açude, que antes seria um pontilhão, não fosse a ideia de Honorato Feijó. Sua contribuição foi tamanha que o reservatório foi nomeado em homenagem a sua esposa e a si próprio: Porcina + Honorato = Porcinato. Desde então, o Açude Porcin…

Lombada "quebrada"

Imagem
Tente não "quebrar" a lombada de um livro muito extenso (como esse d'O Senhor dos Anéis, com umas 1200 páginas) e falhe miseravelmente.
Acho que tenho mais dois ou três nesse estado, como A Fúria dos Reis e A Ordem da Fênix.
É só ter um pouco mais de cuidado com o seu exemplar que nada de pior vai acontecer. Tente não abrir demais o livro durante a leitura, mas também não deixe de lê-lo por causa disso.

A Continuação da Saga das Leituras Inacabadas

Imagem
E não foi só o Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil que deixei pela metade. Eu havia pausado também O Senhor dos Anéis após o fim da primeira parte (A Sociedade do Anel) e agora sigo a leitura com As Duas Torres.

Ano Novo, Leituras Novas; Ou Não

Imagem
Todo ano nossas listas de leitura só crescem. Assim como nossa vontade de ler coisa nova, conhecer outros gêneros e evoluir enquanto leitor. Nessa época de renovação, também prometemos mudar certas atitudes, como a velha história de comprar algo tendo vários livros intocados na estante. Ou ficar vendo o sumário pra ver quantas páginas restam para o próximo capítulo ou o fim do livro (eu faço muito isso).

Apesar de sentirmos essa necessidade de ler coisa nova, também é interessante reler alguma obra antiga da sua jornada até aqui. Algum livro que realmente marcou a sua vida e que não pegamos há um bom tempo. Nem precisa ser o livro, mas talvez aquele que tenha sido lido num bom ou mau momento, ou quando se era criança, ou um mais aleatório.

Se pararmos para pensar, um livro não fica marcado apenas pela história contida nas palavras dele, mas também pelo momento que vivemos durante a leitura. Quando folheio Os Melhores Contos de Moacyr Scliar, por exemplo, consigo me ver numa coluna da…

Quando não dá pra finalizar a Meta de Leitura

Imagem
Se você não conseguiu ler, no ano passado, todos os livros que pretendia ou deixou algum pela metade, não há problema. Afinal, ninguém pode te julgar por isso. Mas evite de ficar falando sobre pra outras pessoas. Li metade do Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil e só vou terminar agora em janeiro.